Cortana

0

Tecnologia, informática e games sempre estiveram intimamente ligados. São os jogos que forçam as inovações de hardware e utilizam de forma extrema o melhor que uma linguagem de programação pode oferecer. Foi uma questão de tempo até que a Microsoft resolvesse trazer um elemento do mundo dos games para dentro de seu principal produto, o Windows. Cortana é o nome da assistente pessoal que vai fazer parte de nossas vidas durante um bom tempo. Ela está presente no Windows 10 e também em outros produtos da Microsoft como o Power BI.

Para quem não sabe, Cortana é uma personagem fictícia que surgiu no game Halo: Combat Evolved, desenvolvido para PCs em 2001 pela Bungie e publicado pela Microsoft. Ela é uma forma de inteligência artificial, o braço direito do Master Chief, o que pode ser um dos fatores que justifica sua escolha pela Microsoft no momento de criar um rival para a assistente pessoal Siri, da Apple.

 

Microsoft-cortana

Para os que não conheciam, está é a famosa Cortana.

 

No dia 22 de abril deste ano, a Microsoft liberou a Insider Preview Build 14328 do Windows 10, e uma das atualizações é a possibilidade de ter a Cortana na sua tela de logon (lock screen). Outras melhorias implementadas foram novas formas de criação de lembretes, buscas no conteúdo do OneDrive e nova integração entre dispositivos que rodem Windows.

 

No Power BI, ferramenta de Data Visualization da Microsoft, “o Cortana”, como diz a versão PT-BR da documentação, pode encontrar respostas para suas perguntas através da pesquisa nos conjuntos de dados, que deverão estar habilitados para utilização da funcionalidade. Um conjunto de dados nada mais é do que a tradução do inglês para o português dos famosos Datasets, as tabelas relacionadas entre si que o Power BI usa como fonte de dados.

As perguntas são feitas em linguagem natural e as respostas obtidas podem ser originadas tanto dos conjuntos de dados quanto diretamente dos relatórios. É importante ressaltar que a Cortana não funciona com dados que não estejam armazenados no Power BI, ou seja, não funciona com conexões do tipo Direct Query ou similares. Outro ponto importante é que os conjuntos de dados devem ser configurados individualmente para permitir o uso da Cortana, conforme apresentado na figura abaixo.

Opção Cortana

Para utilizá-la em conjunto com o Power BI, você vai precisa realizar dois passos obrigatórios, incluir a conta (e-mail) em uso na ferramenta dentro da opção de configuração de contas do Windows 10, e habilitar o acesso aos conjuntos de dados ou relatórios na Cloud do Power BI, conforme mencionado anteriormente. Até onde eu sei não existe Cortana em outras versões de Windows, portanto se você ainda não usa o Windows 10 é melhor se atualizar logo.

Tão logo eu consiga realizar mais testes volto aqui para publicar um novo post explicando com mais detalhes o funcionamento dessa integração entre Cortana e Power BI.

 

Caso você se interesse pelo assunto, os links abaixo apresentam uma breve definição da própria Microsoft sobre a sua assistente pessoal para Windows 10 e como habilitá-la no Power BI.

 

http://windows.microsoft.com/en-us/windows-10/getstarted-what-is-cortana

http://windows.microsoft.com/en-us/windows-10/getstarted-what-is-cortana-mobile

https://powerbi.microsoft.com/pt-br/documentation/powerbi-service-cortana-intro/

https://powerbi.microsoft.com/pt-br/documentation/powerbi-service-cortana-enable/

Vamos fazer um blend?

0

Não estamos falando de carnes, cafés ou imagens. Estamos falando de dados. Data blending nada mais é do que a combinação de dados de diferentes fontes com o objetivo de gerar um dataset analítico, que vai conter informações precisas que ajudarão você a tomar decisões de negócio.

A primeira ferramenta que qualquer usuário comum se lembra na hora de manipular dados é o Microsoft Excel. Apesar da sua versatilidade, já faz algum tempo que ele deixou de ser a única ou melhor opção para se trabalhar. Por isso, resolvi escrever este post para apresentá-los ao Alteryx.

Alteryx

Esta ferramenta é direcionada para usuários avançados, o que não significa que não possa ser aprendida por qualquer pessoa. O maior ganho em utilizá-la é dispensar o envolvimento da área de TI na criação dos seus datasets, dando maior poder e autonomia ao usuário. Lembre-se que com grandes poderes vêm grandes responsabilidades, portanto se o seu dataset apresentar dados incorretos, existe algum problema na maneira como você fez o blend das suas bases. Quanto maior for o seu conhecimento na área de bancos de dados e inteligência de negócios, mais facilidade e menor será o tempo necessário para aprender a usar o Alteryx.

Para começar a trabalhar é muito fácil, você deve arrastar os ícones do menu superior para a área de trabalho em branco. Cada ícone representa um tipo de ação diferente e estão agrupados de maneira intuitiva para facilitar a sua utilização.

Alteryx_menu

Um conjunto de ícones conectados entre si formam um fluxo por onde os seus dados vão transitar até atingirem o resultado esperado, que poderá ser consumido por qualquer ferramenta de visualização, como o Power BI ou o Tableau, que são os meus preferidos atualmente.

O primeiro ícone que você vai inserir no fluxo é o Input Data. É através dele que você vai escolher a primeira base que será combinada.

Alteryx_Input

Dentre os principais arquivos conhecidos como planilhas do Microsoft Excel, Access e arquivos texto, o Alteryx ainda pode ler dados de fontes JSON, SAS, SPSS, XML, SHP e KML, somente para citar algumas delas.

A partir do Input Data o fluxo começa a ser desenhado e dentro de cada aba do menu superior podem ser encontrados os meios que você busca para transformar dos dados em um dataset enxuto e ideal para consumo.

Em um próximo post vou detalhar cada um dos principais ícones dos grupos Preparation, Join e Parse, explicando a funcionalidade básica de cada um.

Até a próxima!

Minha Apple TV Morreu

0

Desde a semana passada meu pai não conseguia ligar a Apple TV para assistir Netflix.

Inicialmente a luz acendia e nenhum sinal de video era enviado. Achei que fosse alguma burrice dele e depois suspeitei que era problema no cabo HDMI. Nada…

Hoje quando fui testar novamente, vi que a luz piscava muito rápido. Dei uma pesquisada e achei vários casos desse tipo.

Então descobri que existe um procedimento que restauração de software através da porta micro USB que existe abaixo da saída HDMI.

appletv (mais…)

Como fazer um top ten dos dados no Tableau

0

O problema é bastante simples e a solução também. Precisei fazer isso hoje e não consegui resolver da maneira correta, então fui buscar na internet essa informação. Tudo que encontrei era muito confuso, até que achei o que eu estava buscando. Como perdi tempo para encontrar e não estava bem explicado, achei melhor postar esse “segredo” que será útil para muita gente.

Digamos que eu tenha uma lista enorme de materiais e quero visualizar apenas os dez maiores, os “top ten” como dizem por aí. Basta criar um campo calculado. Você pode batizar esse campo com o nome que você preferir. A fórmula que você vai digitar no campo reservado para ela é a seguinte: index()

Tableau_01

 

Clique em OK e pronto! Seu campo já está criado e consta da área de medidas. Arraste esse campo que você criou para a área de filtros e defina a valor desejado. No meu caso, eu queria um top 15 ao invés de um top 10.

Tableau_02

 

Depois, clique em mostrar filtro rápido nas opções de filtro para que você possa ajustar sempre que for preciso. Se o seu cliente ou chefe falar que 15 é muito, ou que 10 é pouco, ele mesmo pode modificar a quantidade através do filtro.

O resultado você pode ver na figura abaixo. Ao invés de uma lista de materiais eu trabalhei com uma lista de países, e selecionei os 15 maiores consumidores de energia. O filtro se encontra no canto direito da tela.

Tableau_03

 

Dica muito útil e fácil de aplicar! Até a próxima!

MAME Box para Leigos

0

 

Primeiramente o que é MAME Box? Para quem não sabe MAME (Multiple Arcade Machine Emulator) é um projeto iniciado em 1996 com o objetivo de emular os jogos de arcade, o bom e velho fliperama, da maneira mais fiel possível. Dia 24 de Dezembro de 2016 esse esforço coletivo fará 20 anos e conseguiu preservar mais de 10.000 jogos.

A dificuldade de emular cada máquina diferente deve ser incrível, pois o executável do aplicativo já tem mais de 80MB na sua versão para PC.

Tá, mas e o MAME Box?!?

Bem, os anglo parlantes tem essa mania de chamar tudo de “BOX”. O Conversor da TV a cabo é chamado de Cable Box. O próprio Xbox tem esse nome pois ele é um DirectX Box. Esses Boxes são na verdade aparelhos dedicados a uma função exclusiva.

(mais…)

Android 6.0 Marshmallow – Não consigo copiar arquivos

4

Logo assim que acabei de atualizar o meu Moto X para o Android 6.0 fui conecta-lo no meu computador para transferir alguns arquivos.

Para minha surpresa, recebi esta linda mensagem de erro:

Android61

Can’t access device storage

 

If your device’s screen is locked, disconnect its USB cable, unlock your screen, and then reconnect the USB cable.

Fiz todos os procedimentos da mensagem, mas nada. Não conectava de forma alguma.

(mais…)

Windows Phone 8.1 disponível – Preview for Developers

0

Pessoal, finalmente o Windows Phone 8.1 está entre nós. A atualização foi liberada hoje pela Microsoft às 7 am (EST) e está disponível para todos os aparelhos com Windows Phone 8. Isso mesmo, todos! Do Lumia 520 até o 1520 e outros modelos que não sejam da Nokia.

 

Como se trata de um Preview para desenvolvedores, a atualização ainda não está disponível para todos os usuários. Mas é muito fácil ativar uma conta de desenvolvedor (e é grátis!). Só seguir os passos abaixo:

 

1. Registre-se com uma conta Microsoft no programa Windows Phone Developer em appstudio.windowsphone.com

2. Baixe o app Preview for Developers, através deste link.

3. Abra o app e entre com a sua conta Microsoft (registrada acima).

4. Vá em Configurações, e procure por atualizações para o seu aparelho.

 

Após esses passos, o seu aparelho irá atualizara a última versão do Windows Phone 8 (pré 8.1). Após isso, só repetir o processo de atualização, e pronto, o aparelho estará com a versão Windows Phone 8.1.

 

E ai, quem já atualizou o aparelho? Comente abaixo!

 

Observação: Como se trata de uma atualização não disponibilizada pela operadora, esse processo pode invalidar sua garantia.

Campos USERLGI e USERLGA no PROTHEUS

0

Para quem não viu nada de PROTHEUS esses dois campos opcionais podem ser adicionados a qualquer tabela que se tenha o mínimo de controle de inclusão ou alteração de um registro que apesar de básicos, eles são muito uteis.

O único problema é que para podermos retirar alguma informação é necessário fazer uma função em ADVPL para decodificar o texto que fica guardado neles. Elas ficam assim:

0#  0@  00s 00p

Hoje eu precisei fazer uma função, em SQL, que conseguisse extrair a Data desse campo. Como eu não vi nada parecido na grande rede, fica aqui a minha contribuição.

CREATE FUNCTION [dbo].[GetDateProtheus]
(
-- Add the parameters for the function here
@DATE VARCHAR(MAX)
)
RETURNS VARCHAR(MAX)
AS
BEGIN
 
-- Declare the return variable here
DECLARE @resultvar VARCHAR(MAX)
DECLARE @days INT
DECLARE @DigitoUm INT
DECLARE @DigitoDois INT
 
SET @DigitoUm =  ascii(SUBSTRING(ltrim(@DATE),11,1))-50
SET @DigitoDois =  ascii(SUBSTRING(ltrim(@DATE),15,1))-50
 
SELECT @days =  CAST(RIGHT(rtrim('0'+CONVERT(CHAR(2),CASE WHEN @DigitoUm >= -9 THEN @DigitoUm
ELSE 0 END)),2) +
RIGHT(rtrim('0'+CONVERT(CHAR(2),CASE WHEN @DigitoDois >= 0 AND  @DigitoUm >= -9 THEN @DigitoDois
ELSE 0 END)),2) AS INT)
 
-- Add the T-SQL statements to compute the return value here
SELECT @resultvar = CONVERT(VARCHAR(10),DATEADD(DAY,(@days),'19960101'), 103)
 
-- Return the result of the function
RETURN @resultvar
END

Não é 100% compatível com a função Load2in4 da TOTVS (cujo código fonte eu queria muito ver!), mas a não ser que você tenha registros de antes de 01/01/1996 no seu PROTHEUS tudo deve funcionar bem.

Cadastro de estudante na loja da Microsoft

1

Fala pessoal,

Recentemente comprei um SSD para o desktop, após um HDD da Seagate acusar que ia morrer em breve (triste quando isso acontece, não?), e precisei então adquirir uma nova licença para o Windows 8, já que não era meu objetivo continuar usando o Windows 7.

 

Pois bem… após ir na loja virtual da Microsoft, encontrei o Windows 8.1 Pro para estudantes por apenas R$ 119,00. Comparando, a versão Retail custa R$ 699,00. A escolha era óbvia. =)

 

Adicionei o produto no carrinho, saquei o cartão de crédito e… precisava confirmar o meu status de estudante. Para isso, a Microsoft nos apresenta três opcões:

– Comprovação a partir de email institucional

– Comprovação com uma carteira internacional de estudante (ISIC, e outras)

– Comprovação com código de verificação (normalmente, cedido pela instituição de ensino)

– Comprovação manual.

 

Para alongar a história e valer este post, tive que ir pela comprovação manual.

Simplesmente preenchi um formulário simples, anexei uma foto da carteirinha da pós-graduação (serve de graduação também), e a Microsoft analisa os pedidos dessa forma, demorando de 3 a 5 dias úteis para registrar o cadastro.

A carteirinha tem que ter data de validade, e essa verificação dura 12 meses. Após esse período, o status de estudante tem que ser renovado.

 

No mesmo dia a noite, recebi a confirmação no meu email:

 

Microsoft Store

 

 

Foi só voltar para o site e concluir a compra.

A ressalva é só a seguinte: a licença será adicionada a sua conta da Microsoft e você poderá baixar a .ISO do sistema operacional, mas não receberá a mídia física. Para isso, tem que comprar separadamente após a compra.

 

Fica a dica para quem precisa comprar o Windows para uma nova instalação e está estudando no momento.

Como estudante, você tem direito a comprar 5 licenças do Windows 8.1 Pro a cada 12 meses. 😉

 

Arduino + LCD Shield

0

Trabalhando com aplicações totalmente embarcadas é necessário ter uma forma de interação com o usuário.

Para isso existem várias formas, mas a mais simples e barata, que conheço, é o LCD Shield (http://dx.com/p/289132).

Nele temos apenas 2 linhas com 16 caracteres e 5 botões para interação com o usuário. O único problema é sair das GUIs complexas e tentar simplificar tudo com apenas algumas palavras.

Aqui temos um pequeno exemplo do funcionamento de um menu simples:

 

Abraço a todos.

Go to Top